terça-feira, junho 13, 2017

Futebol, Justiça e sinuca


Provavelmente quando este artigo estiver publicado, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já terá decidido se cassa ou não o presidente Michel Temer (PMDB) por abuso de poder político e econômico. Mas o fato mais importante a ser destacado é que o povo não está nem aí para esse julgamento. Essa vidinha corrida, de casa para o trabalho, dentro de “latas de sardinha”, com boletos para pagar no fim do mês, sequer foi sacudida.

O povo não está nem aí para entender o que é TSE, STJ, STF, nem quer saber como se dá esse rito de julgamento, quem fala, quem acusa, quem defende, se pede vistas, se tem relator, delator ou impostor. A TV Globo até tentou fazer uma novela mostrando como é a Corte, explicando como estão postados os ministros, como é o glamour do Pleno onde ocorre a farsa, ops, quer dizer, o julgamento.

A patetice da TV Bandeirantes foi até mais próxima da realidade do que o brasileiro está pensando, ao comparar o julgamento que ocorria no TSE como se fosse um jogo de futebol (na verdade, caneladas). Afinal, o brasileiro quer saber mesmo é de Flamengo com sua muralha furada, de Vasco rebaixado pegando de 5, de Neymar, de Cristiano Ronaldo...

Não fosse a atuação do ministro relator Herman Benjamin, que votou pela cassação da chapa Dilma/Temer, esse julgamento do TSE não teria nem um verniz para enganar o povo (mas que povo, se ele está prosseguindo com sua vidinha triste e chata?). Então eles continuariam com seu regabofe quando as luzes das câmeras das TVs fossem desligadas.

Independente de qual seja o resultado dessa votação, ficou bem claro nesses dias de sessão e mídia, com direito a rompantes do ministro Gilmar Mendes, que mais parecia advogado de defesa de Temer, que tudo se encaminhava para absolvição do mais retrógrado presidente que o país já teve e o mais enrolado com a bandalheira por meio da Lava Jato.

Apesar de julgamentos serem imprevisíveis, e tudo pode acontecer, pois se tratam dos seres intocáveis da mais alta Corte da Justiça brasileira, é bem provável que Temer seja absolvido mesmo, pois quatro dos ministros já se mostravam propensos a votarem contra a cassação.

Eles sabem que o povo não vai se rebelar, uma vez que, se fosse para ocorrer isso, o cidadão já teria ido às ruas desde que o Supremo Tribunal Federal (STF) deu aval para um impeachment que tinha a finalidade de tão somente colocar Temer no poder para enterrar a Lava Jato e manter os mesmos esquemas.

O próximo passo agora é arquitetar como colocar o traidor da esquerda, o Lula, na prisão sem torná-lo uma espécie de “mártir”, pois, se deixarem ele livre e solto, é bem possível que ele volte de novo à Presidência. Sinuca de bico.

P.S.: Artigo publicado originalmente na Folha de Boa Vista


jesseroraima@hotmail.com

Pedaladas e circo

Jessé Souza* Definitivamente, não dá mais para entender o Brasil depois das últimas decisões políticas e judiciais. A cassação da pre...